A MARCA NO MUNDO

Atualmente a CALLAWAY, que comercializa uma completa e avançada linha de tacos (segmento onde é a maior produtora mundial), bolas e acessórios para golfe, que incluem desde roupas, luvas, óculos, bonés até calçados e GPS, está presente em mais de 110 países ao redor do mundo.

 CALLAWAY GOLF

A americana CALLAWAY GOLF é conhecida mundialmente por produzir tacos excepcionais, que aliam tecnologia de ponta com design, gerando ao golfista, quer seja profissional ou amador, desempenho superior e muita diversão. Além disso, ao oferecer uma completa linha de produtos relacionada com esse esporte, a CALLAWAY se tornou uma lenda entre os golfistas, conquistando uma posição invejável no mercado mundial.

A história

Tudo começou quando o visionário e empreendedor Ely Reeves Callaway resolveu vender seus vinhedos na Califórnia para aplicar o dinheiro em sua grande paixão: o golfe. Com milhões de dólares na mão ele comprou 50% da pequena empresa de tacos de golfe Hickory Sticks, se tonando sócio de Dick de La Cruz e Richard Parente. No ano seguinte ele relocou a empresa para a cidade de Cathedral City na Califórnia, onde distribuía pessoalmente seus tacos de golfe no porta-malas de seu Cadillac para pequenos lojistas e nos campos e clubes de golfe da região. Em 1984 ele comprou o restante da empresa por US$ 400 mil. Obstinado por desenvolver tacos com tecnologia avançada e design inovador, em 1985, com a empresa já instalada na cidade californiana de Carlsbad (que ficaria conhecida como “a capital mundial do golfe”), ele contratou como consultor Richard Helmstetter, um famoso designer de tacos de sinuca e bilhar, que no ano seguinte se tornaria Chefe de Design da empresa. Em 1988 a empresa passou a se chamar oficialmente CALLAWAY GOLF COMPANY.

A obsessão da empresa em inovar resultou, em 1988, no lançamento do revolucionário taco de golfe S2H2 feito em madeira e metal, que alterava a distribuição do peso em torno do driver e oferecia a qualquer jogador mediano a oportunidade de tacar a bola a distâncias maiores. A linha feminina deste taco seria lançada no mercado em 1990. Pouco depois, em 1991, a CALLAWAY lançou um produto que iria redefinir os rumos do mercado, o taco de metal com cabeça larga BIG BERTHA, que combinava a tecnologia do S2H2 com um sweet spot redesenhado, proporcionando ao golfista médio um jogo mais produtivo, tolerante e agradável. O BIG BERTHA não era realmente revolucionário, pois não foi o primeiro taco com a cabeça maior. Tinha, porém, vários atributos patenteados, incluindo um design que eliminava a maior parte do peso da haste. E o principal: tinha melhor desempenho. Era diferente o bastante para que o fundador da empresa não licenciasse o design ou vendesse o produto através de outra empresa. Para lançá-lo no mercado, a empresa aumentou a capacidade de produção, ampliou a infraestrutura de vendas e marketing e investiu muito dinheiro no departamento de pesquisa.

Então, em 1995 a empresa surgiu com um terceiro design revolucionário para os drivers de titânio GREAT BIG BERTHA, embelezando e consolidando as vantagens tecnológicas anteriores. Além disso, nesse período, foram lançadas as primeiras edições limitadas de tacos assinadas por grandes golfistas. Essas inovações fizeram com que o público consumidor recorresse em massa aos produtos da CALLAWAY, cuja participação de mercado decolou, assim como seu faturamento, transformando a empresa na maior produtora de tacos de golfe do mundo em 1996. Em sintonia com esse processo, decolaram também os canais de distribuição de produtos de golfe. No final desta década, aproximadamente cinco mil varejistas “green grass” (lojas de varejo localizadas em campos de golfe, também conhecidas como pro-shops) e mais de dois mil varejistas situados em zonas comerciais passaram entusiasticamente a estocar e distribuir os produtos da empresa. Eles apreciavam a marca porque seus produtos eram comprovadamente superiores aos concorrentes. Além disso, em 1998, a empresa lançou no mercado os tacos para crianças LITTLE BERTHA.

Apesar do enorme sucesso de seus tacos, no final da década, a empresa se viu presa a uma situação complicada, que muito para sua surpresa, nascera de forma lenta e linear bem debaixo de seu nariz. Nesta época a CALLAWAY atingiu a cifra de US$ 900 milhões em receita de vendas e uma participação dominante no mercado, especialmente americano, graças a uma série de inovações de produto. Temendo serem superadas, empresas concorrentes como a Taylor Made e a Titleist seguiram o exemplo de inovação da CALLAWAY, com a qual definitivamente se equipararam em termos de qualidade. Foi quando o domínio da CALLAWAY sobre seus varejistas começou a perder força. Anteriormente, quando o ambiente lhe era favorável e seus produtos voavam das prateleiras, a empresa estabeleceu como política não oferecer descontos aos varejistas, independentemente do volume das vendas; além do mais, as condições de pagamento eram rigorosas. Mas com o decréscimo das vantagens de produto e a fixação de políticas de canal que lhes conferiam margens reduzidas, os parceiros varejistas desencantaram-se com os artigos da marca.

Assim, com a mudança no ambiente competitivo e a ausência de grandes inovações (em parte devido a regulamentos da USGA, a associação de golfe norte americana), a CALLAWAY necessitava da boa vontade e do auxílio de seus parceiros de varejo, especialmente das lojas localizadas em zonas comerciais, responsáveis pelo grosso de suas vendas. Não apenas as margens e incentivos, mas também a intensidade e a seleção da cobertura de canal da empresa passaram a ser examinados. Assim, a empresa estabeleceu estreita relação com suas dez principais redes de varejo, das quais era a fornecedora preferida. Com esses clientes nacionais, a empresa contava com ajustes especiais de estoque e também com contratos especiais de merchandising e exposição no ponto de venda. No nível seguinte, juntamente com suas parceiras varejistas “extracampo”, a empresa criou um programa para parceiros preferenciais, oferecendo programas para as três principais entidades do varejo. Já em relação aos pro-shops, a empresa buscou uma maior e mais profunda cobertura. Com essas medidas a CALLOWAY voltou a conquistar pontos de venda importantes e suas vendas voltaram a subir.

Com a chegada do novo milênio, após mais de três anos de pesquisas e desenvolvimento, a CALLAWAY resolveu diversificar sua linha de produto com o lançamento, em 2000, de suas primeiras bolas de golfe (chamadas RULE 35). Além dessa novidade, a empresa “ganhou”, entenda-se pagou milhões de dólares, um garoto-propaganda de peso, o americano Arnold Palmer, uma lenda viva dentro do golfe. No mês de maio de 2001, o senhor Callaway, depois de vender mais de US$ 5 bilhões em tacos de golfe em vintes anos, se afastou da empresa e faleceu pouco depois, no dia 5 de julho, vítima de um câncer no pâncreas. Apesar de sua morte o DNA de inovação da CALLAWAY deixado por ele, resultaria nos anos seguintes, em novos produtos que redefiniriam a arte de praticar golfe, como por exemplo, o taco C4, que utilizava fibra de carbono em sua estrutura. Além relançou sua linha de roupas e diversificou seu portfólio com a introdução de calçados (2003), relógios, óculos escuros e até GPS. Neste período a marca lançou seus produtos em novos países e reforçou sua posição de liderança nos mais importantes mercados de golfe do mundo.

Durante três décadas, através de um firme compromisso com a inovação, a CALLAWAY desenvolve e cria produtos e serviços com um único intuito: tornar todos que amam esse esporte em melhores golfistas. Afinal, o senhor Ely Callaway sempre acreditou em ajudar os golfistas de todos os níveis à encontrar mais prazer e sucesso no jogo, e a empresa continua essa tradição com uma paixão pelo golfe e uma missão de ajudar todos os golfistas a desfrutarem da sensação de golpear a bola com perfeição.

Atestado pelos melhores golfistas
Uma das mais importantes ferramentas de marketing utilizada pela CALLAWAY é o patrocínio de grandes golfistas profissionais, que participam dos principais torneios mundiais, e celebridades que praticam o esporte, como por exemplo, Justin Timberlake. Após patrocinar o lendário Seve Ballesteros, a CALLAWAY mantém hoje em dia um time de golfistas de peso, incluindo as lendas vivas Arnold Palmer, David Leadbetter, Gary Player e Annika Sörenstam, os americanos Mark Brooks, Phil Mickelson e Jim Herman, o sul-africano Ernie Els, o inglês Michael Campbell e a alemã Sandra Gal.

Dados corporativos
● Origem: Estados Unidos
● Fundação: 1982
● Fundador: Ely Reeves Callaway
● Sede mundial: Carlsbad, Califórnia
● Proprietário da marca: Callaway Golf Company
● Capital aberto: Sim (1992)
● Chairman: Ronald Beard
● CEO & Presidente: Chip Brewer
● Faturamento: US$ 886.5 milhões (2011)
● Lucro: – US$ 171.1 milhões (2011)
● Valor de mercado: US$ 421.3 milhões (março/2012)
● Presença global: + 110 países
● Presença no Brasil: Não
● Funcionários: 2.100
● Segmento: Esportivo
● Principais produtos: Equipamentos e acessórios para golfe
● Concorrentes diretos: Taylor Made, Nike, Yonex, Mizuno, Dunlop e Titleist
● Ícones: O taco Big Bertha
● Slogan: A better game by design.
● Website: www.callawaygolf.com

A marca no mundo
Atualmente a CALLAWAY, que comercializa uma completa e avançada linha de tacos (segmento onde é a maior produtora mundial), bolas e acessórios para golfe, que incluem desde roupas, luvas, óculos, bonés até calçados e GPS, está presente em mais de 110 países ao redor do mundo. A marca tem forte presença nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido, Espanha e na Ásia, especialmente no Japão. É proprietária também das marcas Odyssey (putters), Top-Flite (bolas) e Ben Hogan (bolas e tacos). A empresa ainda possui 27 CALLAWAY PERFORMANCE CENTER espalhados pelo mundo, onde oferece aprendizado especializado para que desejar jogar golfe.

Você sabia?
● As bolas de golfe representam mais de 20% do faturamento anual da empresa americana.

As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).